MOVIMENTOS PENDULARES POR RAZÕES LABORAIS NA REGIÃO METROPOLITANA DE FORTALEZA (RMF): QUEM PRATICA?

João Gomes da Silva

Resumo


O cenário dos deslocamentos populacionais, por razões de trabalho, tem sido motivo de discursão na literatura brasileira, mas quando se trata de quem está praticando esse tipo de mobilidade pendular ainda tem sido pouco recorrente. Diante disso, tem-se o intuito de rmfPara tanto, aplica-se o modelo de regressão logística, para avaliar a chance de o indivíduo realizar tal fluxo. Tendo os dados sobre deslocamento do Censo Demográfico 2010, como principal fonte de informações. Os resultados mostram que existe uma maior chance de homens com idades, entre 20 e 44 anos, de cor parda, com nível médio completo até superior completo e com rendimentos acima de três salários mínimos, realizar a mobilidade pendular entre os municípios da RMF. Isto porque, Fortaleza centraliza investimentos, tornando-a atrativa em termos de pessoas. Ademais, Caucaia e Maracanaú conhecidos como outros polos dinamizados nessa área, Caucaia com a presença de conjuntos habitacionais e Maracanaú com a presença do polo industrial. Além dessa influência, a aproximação geográfica estimula os deslocamentos entre esses municípios da periferia com a capital Fortaleza.

Palavras-chave


Mobilidade pendular; Perfil; RMF

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


LAJBM está indexada em:

   

 

ISSN: 2178-4833